KAKATI  DE  PAIVA

FYMF ARTE CONTEMPORÂNEA

Lançamento do livro:
Kakati 30 anos

Kakati de Paiva

FYMF ARTE CONTEMPORÊNEA

         

          Nasceu no Rio de Janeiro em 1957, onde vive e trabalha. Sempre ligado a arte ,fez sua 1 exposição individual (pintura) em 1981 e formou-se no ano seguinte em arquitetura, USU, RJ. Observando sua trajetória, a partir de1990 fez sua formação artística na Escola de Artes Visuais (EAV RJ). Em 1999 realizou sua primeira exposição institucional, Centro Cultural da Caixa, RJ, e ainda nesse ano, classificou-se para participar no ano seguinte de sua 1. exposição internacional coletiva :”2000 reasons to love the Earth”. Foundation Zeezigt . Netherlands. Em 2011 participou da “ 1st Edition Contemporaneo Art Biennial Opening.Paris 2011”, Espace Beauropaire, onde recebeu premiação de menção honrosa (pintura), e ainda nesse ano participou no Museu Metropolitano de Buenos Aires de uma exposição coletiva onde recebeu o prêmio “Trofeu Leonardo da Vinci”. Em 2012 realizou sua 1. Exposição individual internacional,”Tangences” na Galerie Ricardo Fernandes (Paris) e tambem participou da mostra“ Novas Aquisições – Gilberto Chateaubriand 2011/12” passando a fazer parte do acervo do MAM RJ.
Kakati vem participando todos os anos de exposições individuais e coletivas onde em sua poética abstrata , fica muito claro uma procura por um olhar pós pictórico figurativo, onde suas representações geométricas / informais apresentam características que o levam a uma denominação de um artista colorista vibrante. Pensando nas experimentações e pesquisas do artista, percebe-se que inicialmente utilizava uma geometria desorientada, pseuda desiquilibrada que refletia para alem de formas e cores, sensações racionalmente objetivadas em gestos, texturas e transparências. Segundo Kakati, nesse processo conceitual/construtivo, percorre um diálogo constante entre seus planos e os “sentidos do ser humano…”, impulsionados em função de aspectos particulares, onde a visão ocupa lugar de destaque.

          “ Minha pintura permeia momentos sempre ligados a limites, espaços que dialogam entre si e que de alguma forma disputam em conflitos a temporalidade, o ritmo e descanso de suas ligações, porem nos trabalhos atuais foi incorporado uma vibração onde camadas de matéria são substituídas por campos fluidos em gesto de cor, contrastam e contemplam esse trajeto e que faz a expressão dessa analogia com os sentidos humanos.


          Me parece, que esse diálogo entre gestual e geometria aplicada, contemporizam de forma pictórica essas sensações que sugerem todas relações existentes num contexto onde consigo “escutar em meu olhar um sabor aromatizado…”
São os sentidos convivendo…

( Kakati De Paiva )